"You don’t have to burn books to destroy a culture. Just get people to stop reading them." - Ray Bradbury.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Os 5 melhores filmes que assisti em 2010

Continuando o Top 5 do ano passado, agora listo os 5 melhores filmes que assisti, ainda naquela de listá-los independentemente do ano de lançamento, mas sim porque tive acesso a eles no ano que passou.

São eles.

Melhores de 2010 filmes

1º - Dogville

dogv

Dogville, 2003 (França), direção de Lars Von Trier

Grace (Nicole Kidman) chega à Dogville fugindo de gangsteres, e encontra Tom, que decide apoiá-la e convencer os moradores da cidade a escondê-la. Porém, para tanto, Grace tem de realizar pequenas tarefas, a fim de que, de uma forma ou de outra, pague pelo asilo que lhe é concedido. Assim, passa a cuidar das plantas, de crianças, atender ao médico aposentado que acha que está muito doente e conversar com o senhor cego que se recusa a aceitar seu problema, entre outras coisas. Fica acertado também que, ao final de 2 semanas, os moradores de Dogville realizarão uma nova assembleia onde decidirão se Grace pode ficar na cidade. Por falar em cidade, o filme, todo rodado em um galpão, não tem cenários da forma como normalmente se vê nos filmes: toda a cidade é representada com desenhos de ruas, casas e cômodos no chão, como numa planta baixa, não existem portas, e as paredes são poucas; e apenas o jogo de luzes e sombras indicam a o dia e a noite. Com o desenrolar da história, Grace começa a ser procurada pela polícia, então os moradores sentem que sua dívida para com eles se torna ainda maior, fazendo com que tenha de “trabalhar” mais, com as imagináveis consequências que isto lhe trás. O filme é longo e muitos o acham massante, mas a forma como o diretor constrói e conta a história faz com que nós, espectadores, assumamos as dores de Grace, e o final, bem, o final me pareceu bastante justo.

O filme faz parte de uma trilogia, chamada E.U.A. Terra de Oportunidades, cujo segundo filme Manderlay, foi lançado em 2005. O terceiro e último, Wasington, tinha lançamento previsto para 2007, fato que não ocorreu.

2º - Onde os fracos não tem vez

fracos

No Country for Old Men, 2007 (EUA), direção de Ethan Coen, Joel Coen

Os Cohen me prendem a atenção desde que assisti a Fargo, mesmo assim demorei muito, sabe-se lá porque, para assistir a Onde os fracos não tem vez. Na história, Josh Brolin interpreta um caçador que descobre por acaso uma cena de crime, com direito a corpos para todos os lados, uma valise cheia de dinheiro e um homem agonizante pedindo por água. Como diria minha avó, não se nega água a uma pessoa com sede, mas o fato é que isso foi a ruína de Llewelyn, o personagem de Brolin. A partir de então, ele é perseguido pelo psicótico Anton, personagem de Javier Bardem, contratado para recuperar o dinheiro - e tenho que fazer um parêntese para destacar a atuação de Barden: mas que p**** é aquilo? O cara faz um assassino psicótico como ninguém, e duvido que alguém o tenha achado bonito e sedutor neste filme, mas, na real, nem era essa a intenção – e no meio disso tudo ainda temos o xerife Tom Bell, interpretado por Tommy Lee Jones, que não me lembro de ter me parecido tão simpático em cena, mas os Cohen são hábeis em moldar figuras policiais, lembram-se de Marge Gunderson?

Agora Ethan e Joel estão lançando Bravura Indômita. Simplesmente adorei o original, de 1969 com ninguém menos que John Wayne, então tenho que assistir a esta nova versão. Só espero que ele seja lançado por aqui.

3º - Entre os Muros da Escola

muros

Entre les Murs, 2007 (França), direção de Laurent Cantet

Este filme me faz agradecer por não ter escolhido ser professor. Já falei algumas vezes que admiro quem aceita e encara a missão, eu simplesmente não conseguiria. François é professor de francês numa escola do subúrbio de Paris, e tem de conviver com a falta de interesse dos alunos, a má educação e a diversidade étnica, fatores que somados inevitavelmente geram tensão e levam ao conflito, fazendo com que François pareça perdido em meio a tudo isso, apesar de motivado a mudar esta situação. O interessante é que o filme foi todo rodado com pessoas comuns, e com uma estética que dá a ele uma cara de documentário. Muito bom.

 

 

4º - Fahrenheit 451

451

Fahrenheit 451, 1966 (Inglaterra), direção de François Truffaut

O filme é baseado no bestseller de Ray Bradbury, e conta a história de Montag, um bombeiro que vive numa época em que a função do corpo de bombeiros é queimar todo e qualquer livro que seja encontrado, uma vez que sua leitura e/ou posse são proibidas. Tido como funcionário brilhante, e prestes a ser promovido, Montag conhece Clarisse, uma jovem intrigante que pensa de forma diferente que a maioria dos “cidadãos”, e chega a indaga-lo se é verdade que, no passado, os bombeiros apagavam incêndios em residências, ao que Montag ri, dizendo ser uma afirmação ridícula, já que as casas sempre forma à prova de fogo. O fato é que o encontro com Clarisse muda Montag, e o atendimento a uma ocorrência, onde uma mulher prefere ser queimada com seus livros que deixar sua casa, faz com que ele passe a guardar alguns livros que deveriam ser queimados, ao ponto de que isto lhe causa problemas com sua esposa. O filme é excelente, mas recomendo que primeiro leiam o livro.

5º - Táxi Driver

taxi

Taxi Driver, 1976 (EUA), direção de Martin Scorsese

De Niro é Travis, um homem de 26 anos com problemas psicológicos, veterano da guerra do Vietnã, que, insone, se oferece para trabalhar como taxista no turno da madrugada, o que lhe permite tomar conhecimento da cultura noturna da cidade, que considera revoltante, dada degradação social, à miséria, violência e prostituição que toma conta das ruas. Ele fica obcecado por Betsy, uma jovem que trabalha no comitê de campanha de um candidato à presidência, o que faz com que ele até mesmo se ofereça como voluntário, até que, enfim, ela aceita sair com ele. Preciso dizer que ela se sentiu ofendida? O interessante é a transformação do personagem, principalmente depois que Íris (Jodie Foster novinha!) entra em seu táxi fugindo de seu cafetão, e ele decide, de todos os modos, tirá-la desta vida, mesmo que ela não se mostre tão propensa a tanto. É um Scorcese, e carrega o peso da grife.

Quem ficou de fora?

Cães de AluguelViagem do CoraçãoDivãHarry Potter e as Relíquias da Morte - Parte IOs incompreendidosPequena Miss Sunshine

 

É isso. Segunda que vem listo os 5 melhores livros que li em 2010.

__

1. A imagem de “Entre os Muros da Escola” é da capa do livro que deu origem ao filme.

2 comentários:

Du disse...

Destes que tu citou, só assisti Dogville e amei!!! Fica a dica pelos outros que ainda não vi!

Beijos, Luciano!

Luciano A.Santos disse...

Du,

Dogville é uma verdadeira obra de arte. Agora estou ansioso para assistir Manderlay ;)

Beijos.

Postar um comentário