"You don’t have to burn books to destroy a culture. Just get people to stop reading them." - Ray Bradbury.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Invictus

Pelo que me lembro dos livros didáticos dos tempos de colegial, a coisa toda na África do Sul foi bem tranqüila: o apartheid caiu, Mandela chegou ao poder, e todo mundo ficou feliz com isso.

Invictus, de Clint Eastwood, mostra que não foi bem o que aconteceu. Apesar da eleição histórica de um negro para a presidência do país, todo o rancor, desconfiança e animosidade geradas em quase 50 anos de segregação racial não desapareceram com um passe de mágica; pelo contrário, surgiu no ar um sentimento de vingança que, então, poderia ser levada a cabo.

Para unir o país – e ficar sob os holofotes, que de besta Mandela não tem nada – o presidente, interpretado por Morgan Freeman, decide dar apoio à equipe sul-africana de rúgbi, esporte preferido da minoria branca, durante a copa do mundo a ser realizada no país. Um fato interessante, e quase lógico, é que os negros, até então, sempre torciam para o time adversário, independentemente de quem fosse, tudo para ver humilhados, nem que apenas em campo, os jogadores do time. Mandela propõe-se a mudar isso, e convida François Pienaar (Matt Damon), o capitão da equipe, para um chá. O encontro motiva François, e Mandela faz tudo o que lhe é possível para romper a barreira entre as raças, afim que o time nacional de rúgbi seja, finalmente, o time de toda uma nação.


Invictus pode não ser o melhor filme de Eastwood, mas ao menos também fica bem distante de Cowboys do Espaço. Apesar de centrar em um dos líderes mundiais mais respeitados de todos os tempos, mostrando os desafios de se levantar um país marcado pela desiguladade e atraso econômico, não me senti envolvido por esta atmosfera, e acabei achando o filme parado, e, justamente por isso, longo demais. Sem contar que, nos momentos onde se tentou imprimir emoção, o resultado foi o oposto, fazendo com que a cena parecesse artificial. E não ajuda muito o fato de que Matt Damon parecer ter somente uma expressão. Já Freeman fez um Mandela quase perfeito.

O filme, nota 74 no Metacritics, obteve duas indicações ao Oscar: Melhor ator coadjuvante, com Damon; e Melhor Ator, com Freeman.

11 comentários:

ϟ Juℓy ® disse...

Nossa nem sabia desse filme. Pena que parece nao ser tao bom porq eu adoro o Morgan!


Até mais! o/

Luciano A.Santos disse...

July, o filme não é ruim, mas também não é excelente. É assim-assim mesmo ;)

Marina disse...

Ainda não assisti. Pode não ser o melhor de Clint Eastwood, mas um filme com Morgan Freeman e Matt Damon não tem o direito de ser ruim. rs

Também quero ver Bravura Indômita. Se for antes do Oscar, melhor, porque dá pra tocer com propriedade.

Luciano A.Santos disse...

Marina,estou ansioso pelo Bravura. Vamos ver no que vai dar.

Nade disse...

Vou te dizer, Luciano, que este não é um dos meus filmes preferidos, mas o acho incrível exatamente por nos tirar da cabeça aquela ideia mágica de que o apartheid acabou no mesmo dia em que o Mandela ganhou as eleições...
Além disso, o filme também mostra a força de uma equipe, o papel importante de um lider firme em seus ideais, o acreditar de alguém no que parecia impossível...
O filme é duplamente exceletente!
Como tava com saudades daqui... Estou voltando, depois de uma boa temporada fora da blogosfera.
Uma excelente semana pra você, viu!
Bjs

Nade (Conheça meu novo blog, o Diário de Bordo)

Luciano A.Santos disse...

Nade,

Faz tempo mesmo! Invictus tem seus pontos positivos, mas não se compara aos melhores Eastwoods.

Beijo e boa semana.

Irene Moreira disse...

Luciano

Pelo pouco que li e sendo um filme de Clint Eastwoad com certeza nos leva a assistir e ainda com um ator como Morgan Freeman.

Pelo que constastes teve suas falhas mas mesmo assim não chega a desmotivar de vê-lo.

Sempre boas as suas dicas.

Beijos e uma boa semana

Luciano A.Santos disse...

Irene,

O filme merece ser visto, mas, como já disse, decepciona um pouco por se tratar de uma obra de Clint Eastwood.

Beijos.

ϟ Juℓy ® disse...

opaaa brigada pelo comentário!! e parabéns atrasado!! hehe, teve a sorte de nascer no melhor mês do ano tmb! xD

To esperando post novo! beijos

Bia Jubiart disse...

Oi Luciano!

Seja bem vindo na Jubiart, sinta-se em casa...
Já assisti INVICTUS, muito bom! Sou suspeita para falar de Clint, apesar de achá-lo nacionalista, gosto demais de seus trabalhos entre eles GRAN TORINO e PONTES DE MADISON.

Uma semana iluminada p/ vc.

Luciano A.Santos disse...

Bia,

Também adoro Eastwood, com certeza é um dos melhores diretores da atualidade.

Abração.

Postar um comentário